X hits on this document

PDF document

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO - page 23 / 48

144 views

0 shares

0 downloads

0 comments

23 / 48

22

Através do RKW a empresa é dividida em centros de custos, sendo os custos posteriormente alocados aos centros por meio de bases de distribuição. Feito isto os custos são repassados aos produtos por unidades de trabalho (BORNIA, 2002).

De acordo com Martins (2001, p.236):

  • O

    RKW consiste no rateio não só dos custos de produção como também de

todas as despesas da empresa, inclusive financeiras a todos os produtos, tudo com base na alocação dos custos e despesas aos diversos departamentos da empresa, para depois ir-se procedendo às várias séries de rateio de forma que, ao final, todos os custos e despesas estejam recaindo exclusivamente sobre os produtos.

“Para este método, a maior dificuldade é com relação à definição das bases de rateio. Quando se utiliza o método indireto, ele não proporciona informações seguras para o processo decisório” (MORGADO, 2003, p. 74).

2.1.3.2.4 Custeio por absorção

Através do custeio por absorção são atribuídos todos os custos fabris (fixos ou variáveis, diretos ou indiretos) aos produtos fabricados em um determinado período, sendo um método mais adequado para finalidades contábeis, para avaliação de estoques e determinação do valor total dos custos dos produtos vendidos a ser registrado na Demonstração de Resultado do Exercício (DRE), a utilização deste método tem sido exigida pela legislação brasileira e por determinação legal devem compor o custo dos bens ou serviços vendidos (WERNKE, 2005).

Por este método de custeio, todos os custos diretos e indiretos de fabricação são apropriados ao produto, sejam eles variáveis ou fixos (COLEÇÃO SEMINÁRIOS CRC-SP, 2000, p.231, 232).

“Essa atribuição de gastos fixos, entretanto, implica, naturalmente, a utilização de rateios. E nisso reside a principal falha do custeio por absorção como instrumento de controle” (PASSARELI; BOMFIM, 2002, p. 40).

“Os critérios de rateios utilizados para distribuir os gastos entre os departamentos nem sempre são objetivos e podem distorcer os resultados, penalizando alguns produtos em beneficio de outros” (COLEÇÃO SEMINÁRIOS CRC-SP, 2000, p. 232).

Document info
Document views144
Page views144
Page last viewedFri Dec 09 04:53:47 UTC 2016
Pages48
Paragraphs1002
Words10052

Comments