X hits on this document

102 views

0 shares

0 downloads

0 comments

11 / 35

Introdução à Ergonomia Página 11 Prof. Mario Cesar Vidal

França, Alemanha, Canadá, Suécia e Brasil, apenas para citar os países onde existe um maior avanço da ergonomia. As mudanças de paradigmas econômicos, no limiar dos anos 80, amplia- ram este quadro fazendo brotar duas novas considerações que dão à ergonomia seu formato atual da ação ergonômica. A primeira delas nos Estados Unidos e Países Nórdicos, preconiza que os projetos de melhoria ergonômica são mais bem sucedidos numa perspectiva maior e inseridas na estratégia organizacional, e que foi chamada a partir de 1990 de Macroergonomia (Brown Jr., 1990). A segunda nova vertente amplia este mesmo debate para o nível das contingências soci- ais e culturais, a que uma empresa está afeita no seu ambiente mediato e que foi cunhada por seu autor em 1974 de Antropotecnologia(Wisner, 1974, 1980). Examinemos, pois, estes três for- matos da ação ergonômica contemporânea.

    • 3.1

      Intervenção ergonômica

      • O

        conceito de intervenção ergonômica inicialmente desenvolvido pela escola francesa de

Ergonomia (Wisner, 1974, Duraffourg et al. 1977; Guérin et al. 1991) é hoje uma forma interna- cional de atuação do profissional que trabalha com a ergonomia9. A efetividade da ergonomia consiste no fato de resultar em transformações positivas no ambiente de trabalho (ambiente aqui tomado em seu sentido amplo, o que inclui a tecnologia e a organização como seus componen- tes). Segundo um consultor norte-americano contemporâneo (Burke, 1998), o trabalho de prepa- rar um diagnóstico é irrelevante se este não criar mudanças positivas. Isto significa que a inter- venção ergonômica é uma tecnologia da prática que objetiva modificar a situação de trabalho para torná-la mais adequada às pessoas que nela operam. Diferencia-se desta forma de estudos e análises de caráter apenas descritivo ou sem comprometimento de fato com as mudanças no tra- balho, como a produção de laudos ou diagnósticos puramente acadêmicos.

      • 3.1.1

        Caracterização

        • O

          que caracteriza uma intervenção ergonômica é a construção que vai viabilizar a mu-

dança necessária, e que possa inserir os resultados da ergonomia nas crenças e valores das orga- nizações que as demandam e recebem os seus resultados. Esta construção divide a intervenção e se realiza em distintas etapas: a instrução da demanda, a análise da atividade e dos riscos ergo- nômicos, a concepção de soluções ergonômicas e a implementação ergonômica (figura 3 )

Instrução da Demanda

Análise da Atividade e dos Riscos Ergonômicos

Contrato para a Ação Ergonômica

Concepção de Soluções Ergonômicas

Atalho Ilusório: Busca da Solução Pronta

Implementação das Soluções Ergonômicas

Solução Ergonômica incorporada à organização

Processo negocial e incremental de construção mútua Figura 3 : Esquema de uma intervenção ergonômica (Vidal, 1999)

A instrução da demanda compreende todo o encaminhamento contratual da intervenção,

  • o

    que passa pelo ajuste e foco do problema, identificação do processo de tomada de decisão na

9

A expressão é empregada em realidades diversas como Estados Unidos, Suécia, Japão Austrália e Brasil.

GENTE - Grupo de Ergonomia e Novas Tecnologias CESERG - Curso de Especialização Superior em Ergonomia.

Document info
Document views102
Page views102
Page last viewedThu Nov 24 23:24:28 UTC 2016
Pages35
Paragraphs708
Words18686

Comments