X hits on this document

113 views

0 shares

0 downloads

0 comments

16 / 35

Introdução à Ergonomia Página 16 Prof. Mario Cesar Vidal

Para uma ordenação desse campo empregamos uma classificação destes conteúdos, suge- rida pela International Ergonomics Association (IEA): ergonomia física, cognitiva e organizaci- onal. Para simplificar essa divisão subdividiremos a ergonomia física em ergonomia do posto e ergonomia ambiental, formando assim nossa divisão de conteúdos (figura 5).

Esta classificação tem apenas finalidades didáticas para compreensão de conceitos. Uma realidade de trabalho é um sistema complexo onde cada um dos aspectos intervêm a seu modo porém de forma interdependente ou sistêmica.

Fisica

Posto de Trabalho Ambiente Fisico

Ergonomia

Cognitiva

Individual Coletiva

Normalidade Anormalidade Figura 5 : Campos da ergonomia contemporânea Organizacional

Assim sendo, podemos formar uma base de conhecimento em ergonomia através dos constituintes físicos, cognitivos e organizacionais, mas sem esperar que cada um destes elemen- tos influa de forma isolada e comportada na realidade complexa do trabalho.

4.1

Ergonomia física Por ergonomia física entenderemos o foco da ergonomia sobre os aspectos físicos de uma

situação de trabalho. E eles são inegavelmente reais: trabalhar engaja o corpo do trabalhador exigindo-os de várias formas ao longo da jornada de trabalho. A ergonomia física busca adequar estas exigências aos limites e capacidades do corpo, através do projeto de interfaces adequadas para o relacionamento físico homem-máquina : as interfaces de informação (displays) as interfa- ces de acionamentos (controles). Para tanto são necessários diversos conhecimentos sobre o corpo e o ambiente físico onde a atividade se desenvolve.

4.1.1 Caracterização

Numa primeira simplificação, consideremos que o corpo tem um sistema músculo- esquelético movimentado por uma central energética. O sistema esquelético confere ao corpo suas dimensões antropométricas: estatura, comprimento dos membros, capacidades de movi- mentação limitadas, alcances mínimos e máximos. Por óbvio que possa parecer, um dos aspectos mais importantes da Ergonomia é que o posto de trabalho, seus utensílios e elementos estejam de acordo com as dimensões do ocupante do posto de trabalho. Nisto consiste o capitulo da antro- pometria como disciplina fundamental da ergonomia. A inadequação antropométrica produz o desequilíbrio postural estático, fator causal das LER/DORT, mas igualmente a de lombalgias, ciáticas e outros problemas fisiátricos.

Para que o sistema esquelético se movimente e se mantenha em determinadas posições, a ele está acoplado o sistema muscular que pode ser primariamente assimilado a um conjunto de cabos extensores em oposição. O sistema muscular tem a propriedade de poder se contrair e in- versamente se distender e essa propriedade requer consumo de energia, provida ao corpo pelo metabolismo, que é a maravilha da natureza que transforma alimento e ar em energia no interior do organismo. A atividade de trabalho deve estar adequada às possibilidades musculares e do metabolismo humano e nisto consiste o segundo capítulo da ergonomia física, a saber a fisiologia do trabalho. Retomando um exemplo já citado, o desconhecimento da fisiologia produziu pro- blemas para os aviadores, mas o mesmo se deu com mineiros, empregados em linhas de monta-

GENTE - Grupo de Ergonomia e Novas Tecnologias CESERG - Curso de Especialização Superior em Ergonomia.

Document info
Document views113
Page views113
Page last viewedSun Dec 04 20:02:18 UTC 2016
Pages35
Paragraphs708
Words18686

Comments