X hits on this document

120 views

0 shares

0 downloads

0 comments

30 / 35

Introdução à Ergonomia Página 30 Prof. Mario Cesar Vidal

de verificação, métodos alternativos e criativos para responder a situações ou passagens inusita- das e com soluções que incorporem tanto as recomendações do diagnóstico situado como as dos manuais de fatores humanos. O importante, na intervenção é chegar à tomada de providências úteis, práticas e aplicadas ao caso.

A intervenção de produção não necessariamente significa uma mudança física, mas pode ser um parecer que fundamente uma opinião ou uma atitude. Numa ocasião fomos chamados para periciar um acidente, onde um trabalhador de uma usina de álcool havia sofrido uma queda do alto da coluna de destilação. A primeira avaliação – a nosso ver simplória – era de que aquele trabalhador havia cometido um ato inseguro pois nada teria que fazer naquele local. Ocorria, no entanto que o processo de destilação é catalisado mediante a adição de uma pequena quantidade de enxofre. Esse procedimento, embora eficaz e responsável pelo bom aproveitamento químico, não era formalizado e portanto a cada vez que a destilação apresentava tendência de queda, um dos operadores escalava a coluna da usina e fazia o acréscimo de enxofre. A queda ocorreu num dia chuvoso decorrente de um escorregão, mas não se tratava de ato inseguro, mas de uma ope- ração do processo – informal, certamente – mas que não havia sido devidamente aparelhada. Nosso parecer ao mesmo tempo desqualificou a noção de ato inseguro, como apontou a necessi- dade de dotar esta operação dos acessos adequados: escada, plataforma de trabalho, roldana para subida do insumo, enfim um conjunto de providências de relativo baixo custo, além da incorpo- ração formal do procedimento na equação química do processo.

6.2.2 Ergonomia de concepção

A ergonomia de concepção pode ser sintetizada como a elaboração, com base na Ergo- nomia de novos produtos, processos, métodos de trabalho ou sistemas informatizados. De acordo com o caso a concepção servir-se-á de métodos e modelagens de produto ou produção. Entre- tanto quando se trata de ergonomia de concepção, as demandas se apresentam de forma bas- tante menos nítida. A possibilidade de projetar uma nova sala de controle ou uma nova planta ou novo escritório sempre é acompanhada do desejo de que outras mudanças ocorram - tecnologia mais moderna, nova filosofia de trabalho, etc. Todas estas vontades, legítimas ou não, acabam tendo influência decisiva sobre os processos de trabalho, sobre a atividade das pessoas e isso quer dizer: impacto ergonômico a ser avaliado, e é nisso que se constitui um dos capítulos da Ergonomia de concepção. Diríamos, para manter uma coerência metodológica que um dossier de concepção é, em geral, de difícil instrução da demanda e de grandes problemas para a imple- mentação de soluções, dado que os problemas anunciados ainda não se materializaram, como no caso de uma intervenção.

Por outro lado os projetos de arquitetura, instalações prediais e os comissionamentos de- vem ser feitos e para isso a ergonomia pode contribuir bastante.

Um bom exemplo foi o caso de comissionamento de um equipamento de alta tecnologia para uma organização. Durante o processo de aquisição do equipamento fomos verificar o fun- cionamento deste mesmo tipo de equipamento já instalado e operando em uma outra organiza- ção. Na situação observamos que o local era dotado de condicionadores de ar de parede impli- cando em uma maior taxa hidrotérmica. Ali havia sido instalado um equipamento acessório para retirar a umidade do ar, posto que o equipamento para ter seu rendimento compatível com os indicadores do fabricante necessitava permanecer em uma dada temperatura e com a umidade relativa do ar dentro dos parâmetros prescritos. Numa conclusão apressada estaríamos tentados a recomendar a implantação do desumidificador, no entanto, este acessório emitia um grande ruído no ambiente, fato relatado pelos operadores e que nos chamou atenção visto que o ruído atrapa- lhava o desempenho da equipe.

No entanto as condições de implantação em nossa organização eram diferentes, pois veri- ficamos que devido a existência de climatização central desumidificada o equipamento poderia funcionar perfeitamente sem o desumidificador. Eis um exemplo concreto onde a importação de

GENTE - Grupo de Ergonomia e Novas Tecnologias CESERG - Curso de Especialização Superior em Ergonomia.

Document info
Document views120
Page views120
Page last viewedTue Dec 06 20:22:04 UTC 2016
Pages35
Paragraphs708
Words18686

Comments