X hits on this document

298 views

0 shares

0 downloads

0 comments

36 / 94

GUIA DE ESTUDOS PARA O CONCURSO DE ADMISSÃO À CARREIRA DE DIPLOMATA

http://www.yourdictionary.com;

http://www.bbc.co.uk

Prova de 2005

1 – TRANSLATION (Total: 30 marks)

Translate the following text adapted from an article by Pedro Gómez-Valadés in La Insignia (13th June, 2005) into English:

Europa, sem pressa, mas sem pausa

Nunca ninguém disse que o processo de construção européia fosse fácil. Superar séculos de confrontos habitualmente resolvidos por via militar não é exatamente o melhor alicerce para a construção. Ou talvez sim. A unidade política da Europa é um caminho sem retorno. Desenham-se muito claro os espaços geopolíticos que serão os pivôs da política mundial no século atual: os Estados Unidos; a China, onde todos os algarismos são astronômicos, com o seu disciplinado mercado de trabalho e pujante aparelho político-militar a serviço de uma expansão econômica de que só começamos a vislumbrar o começo; a Índia, país que entrou devagar pela porta dos fundos, já em todas as apostas das potências do século; e a União Européia.

É evidente que os golpes contundentes que a Constituição européia acaba de sofrer por parte da cidadania francesa e holandesa, obrigam a fazer uso daquela máxima que dizia: “Estamos em guerra, temos que refletir”. Claro que não se trata de um conflito bélico, mas o tremor que há duas semanas sacode os campos da Europa bem merece uma reflexão.

O medo da eventual entrada da Turquia mobilizou, lamentavelmente, mais do que qualquer outro argumento tirado do próprio texto constitucional em debate. A xenofobia foi um dos pilares da contestação ao Tratado Constitucional europeu.

Não é fácil, lógico e evidente, assumir que um dos efeitos irreversíveis e talvez um dos mais (permitam-me a licença poética) formosos da globalização é a mestiçagem de culturas, nações e raças. A Europa, berço da civilização, não deve ser mais do que exemplo de integração. Não será fácil. Contudo, dar por morta a Constituição Européia não deixa de ser só uma manchete de jornal. Mais nada. A sensatez obriga a abrir um tempo de reflexão de que, tenho certeza, sairão soluções. Para já, o democrático é continuar com o processo de ratificação dos diferentes estados. Interrompê-lo agora seria um precedente gravíssimo, um fato quase orwelliano. “Todos os Estados da Europa são iguais, mas uns são mais iguais do que outros".

Mônica S. F. de Sales Barth Tambelli (24,5/30)

Europe, no hurry, but no pause

No one ever said that the process of building Europe would be easy. Getting over centuries of conflicts which had been usually solved by military means is not exactly the best foundation for a construction. Or maybe it is. The political unit of Europe is a path without return. The geopolitical areas which will be the center of the world politics this century are clearly designed: the United States; China, where every figure is astronomic, with its disciplined labour market and dynamic political and military apparatus in service of an economic development whose beginning we have only started to see; India, a country that entered slowly through the back door, and is already present in every bet for this century’s

Document info
Document views298
Page views301
Page last viewedSun Dec 11 04:44:16 UTC 2016
Pages94
Paragraphs1332
Words41002

Comments