X hits on this document

Word document

D1. HISTÓRIA E INTRODUÇÃO ÀS ARTES - page 20 / 21

73 views

0 shares

0 downloads

0 comments

20 / 21

· Arte Perfomática – Allen Kaprow, criou o happening (acontecimento) para agir no limite

entre o teatro e artes plásticas. Nesse estilo, a participação do público é fundamental,

derivando a performance, que é cuidadosamente planejada e aí, não prevê colaboração da

platéia.

· Transvanguarda – Os jovens artistas, como reação à arte de idéias (arte conceitual) que

tinha abolido a pintura, buscaram telas e tintas para resgatar a tradição da arte figurativa

alemã e criar o pós-expressionismo. O maior pintor foi o alemão Anselm Kieter. Em 1979,

aparece a transvanguarda italiana. Esse estilo usa figuras humanas gigantescas com detalhes

neoclássicos. Firmou-se também nesse período, a nova escultura inglesa, atualizando crítica à sociedade de consumo da arte pop nos anos 60, nas obras com fragmentos de lixo plástico

de Tony Cragg e recortes de carcaças de carros de Bill Woodrow. Os avanços da tecnologia

e invenção de novos aparelhos, geraram novas formas de manifestação artística. A mais

expressiva é a videoarte, onde Bill Viola figura como um dos principais nomes. Além disso,

outras técnicas atuais são: eletrografia (xerox de gravuras); o holograma (raio-laser) e a computação gráfica.

· Artes Visuais no Brasil

· Registros Coloniais – Johann Traer, influenciado pelo barroco europeu, foi um dos

primeiros entalhadores que vieram para o Brasil com os jesuítas.

20

Mas a pintura jesuística começou com a chegada em 1587 de Frei Belchior Paulo, que

retratou Anchieta. Depois dele, outros vieram como Domingos da Conceição, Agostinho da Piedade e Agostinho de Jesus. Junto com a invasão holandesa, vieram para o Recife

em1637, artistas flamengos: Pieter Post, Frans Post, Albert Eckout e Zacharias Wagener.

· Barroco – O barroco, que surgiu na Europa em fins do século XVI e, no Brasil, atingiu o

apogeu durante o século XVIII, caracteriza-se pela grandiosidade e pelo gosto das minúcias.

Nas construções religiosas, as colunas, os altares, os púlpitos, antes despojados, recobremse

de espirais, folhas de acanto, cachos de uvas e figuras de anjos, revestidas em ouro. Antes

do fim do século XVII e principalmente nas primeiras décadas do século seguinte, o Brasil

viveu a febre do ouro. Essa transformação urbana levou ao desenvolvimento harmônico e

progressivo da arquitetura, em especial a religiosa. Entre as principais igrejas mineiras,

destacam-se as de São Francisco de Assis, uma em Ouro Preto e outra em São João DEl

Rei, ambas do escultor e entalhador Antônio Francisco Lisboa (1730 ou 1738-1814), o Aleijadinho. A matéria-prima deste escultor era a pedra-sabão. No Rio de Janeiro, Valentim da Fonseca e Silva, fez importantes planejamentos paisagísticos como o Passeio Público; Em 1800, é fundada a primeira Escola de Arte. Outros nomes da época

Document info
Document views73
Page views73
Page last viewedWed Jan 18 04:46:56 UTC 2017
Pages21
Paragraphs661
Words8419

Comments