X hits on this document

Word document

LexUriServ.do?uri=COM:2003:0773:FIN:PT:DOC - page 19 / 227

512 views

0 shares

0 downloads

0 comments

19 / 227

Incidência do risco de pobreza por sexo, tipo de agregado familiar e idade

As mulheres correm geralmente um risco mais elevado de viverem num agregado pobre: em 2001, 16% das mulheres adultas (mínimo 16 anos) auferiam rendimentos inferiores ao limiar, contra 13% dos homens no mesmo grupo etário5. Este padrão é coerente em todos os Estados-Membros, com as diferenças mais acentuadas a registarem-se na Áustria, Finlândia e Reino Unido. A Áustria e a Finlândia, juntamente com a Irlanda, apresentam igualmente as maiores assimetrias entre homens e mulheres em termos de risco de pobreza persistente (Quadro 3), enquanto para o conjunto da UE essas diferenças são assaz reduzidas. Os dados relativos às disparidades médias por sexo são mistos (Quadro 4), já que em muitos países são mais acentuadas para os homens do que para as mulheres. O risco de pobreza é comparativamente mais elevado para as mulheres em grupos etários específicos, sobretudo as mulheres mais velhas (mínimo 65 anos: 21% contra 16% para os homens mais velhos no conjunto da UE).

Figura 4.Taxa de risco de pobreza para indivíduos com 16 anos ou mais, por sexo, 2001

Fonte: ECHP-UDB (Painel dos Agregados Familiares das Comunidades Europeias), Eurostat, versão de Junho de 2003

Por tipo de agregado, o risco de pobreza é mais elevado nas famílias monoparentais (35% para a média da UE), a maioria das quais são compostas por mulheres. No Reino Unido, a exposição ao risco de pobreza para as famílias monoparentais, que são uma proporção relativamente elevada de todos os agregados, é particularmente alta (50%, ver Quadro 9). As pessoas que vivem em famílias numerosas, com três ou mais filhos dependentes, estão particularmente expostas ao risco de pobreza, com a Irlanda, Itália, Espanha e Portugal a

5Excepto no caso de agregados com uma só pessoa, as disparidades entre homens e mulheres no tocante ao risco de pobreza têm de ser interpretadas com precaução, na medida em que partem do pressuposto da partilha equitativa de rendimento no seio do agregado.

19

Document info
Document views512
Page views512
Page last viewedSat Dec 03 01:05:20 UTC 2016
Pages227
Paragraphs2435
Words105696

Comments