X hits on this document

233 views

0 shares

0 downloads

0 comments

4 / 80

Limpeza de ambientes costeiros brasileiros contaminados por petróleo: uma revisão

CAMILA CANTAGALLO1; JOÃO CARLOS C. MILANELLI2 & DIMAS DIAS-BRITO1

1Departamento de Geologia Aplicada, Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, Avenida 24-A, 1515, CEP: 13506-900, Rio Claro, São Paulo - camilacd@rc.unesp.br, dimasdb@rc.unesp.

2 Professor colaborador do Programa de Formação de Recursos Humanos PRH-05, Departamento de Geologia Aplicada, Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro - jmilanelli@uol.com.br.

Abstract. Oil spill cleanup on Brazilian coastal environments: a review. Oil spills occur as a result of oil exploitation, transport, distribution and storage, and may damage the environment and affect the society. A continuous worldwide effort has been made to improve the response instruments to such events in both scientific-technical and legal dimensions. When the oil reaches the coastline and contaminates the different ecosystems, the environmental damages become significant. There are many different approaches to clean the environment up, and choosing the appropriate technique is crucial to minimize the ecological damages, despite the procedures currently in use have been defined mainly based on social and economical demands and aesthetical aspects. This paper summarizes and analyses the information regarding to the techniques employed on the cleaning of the main Brazilian coastal ecosystems (mangroves, salt marshes, beaches, rocky shores, coral reefs, coastal ponds, restingas and dunes). Based on bibliographical revision and on the analysis of real national and international cases, we propose better-adapted methods to clean up each environment, aiming to contribute to the environmental organizations in the decision-making process for oil spills sceneries.

Key words: Oil spills; Brazilian coastal ecosystems; pollution; clean up methods.

Resumo. Vazamentos de óleo, provenientes das atividades de exploração, transporte, distribuição e armazenamento, geram danos ao ambiente e afetam a sociedade. Busca-se, nas dimensões técnico- científica e jurídica, aprimorar de forma contínua os instrumentos de resposta a tais episódios. Quando o óleo atinge a linha de costa contaminando diferentes ecossistemas, os prejuízos tendem a ser consideráveis. Existem muitas maneiras de se fazer a limpeza do meio e a escolha adequada da(s) técnica(s) a ser(em) utilizada(s) é crucial para a minimização dos danos ecológicos, muito embora os procedimentos em uso têm sido definidos, principalmente, pela demanda sócio-econômica e os aspectos estéticos. Este trabalho sintetiza e analisa as informações referentes às formas e técnicas empregadas na limpeza dos principais ecossistemas da costa brasileira (manguezais, marismas, praias, costões rochosos, recifes de coral, lagoas costeiras, restingas e dunas). A partir de revisão bibliográfica e de estudos de casos reais nacionais e internacionais, propõe-se métodos julgados mais adequados para a limpeza de cada ambiente, com o intuito de contribuir com os órgãos ambientais nas tomadas de decisão em cenários de vazamentos de óleo.

Palavras Chave: Vazamentos de óleo; ecossistemas costeiros brasileiros; poluição; procedimentos de

limpeza.

Introdução

longo dos últimos quarenta e cinco anos (ITOPF,

De acordo com a base de dados da International Tanker Owners Pollution Federation Limited (ITOPF), estima-se que, de 1970 a 2005, cerca de 5.700.000 toneladas de óleo foram lançadas ao mar. O número de acidentes e o volume de óleo derramado têm diminuído progressivamente ao

2006). Constata-se a mesma tendência em relação à costa paulista (Cadastro de Acidentes Ambientais, CADAC, CETESB, 2005). A redução de acidentes está associada a um maior controle e cuidado nas operações envolvendo a explotação, transporte e armazenamento de petróleo, o que reflete um

Pan-American Journal of Aquatic Sciences (2007) 2 (1): 1-12

Document info
Document views233
Page views233
Page last viewedWed Dec 07 18:56:36 UTC 2016
Pages80
Paragraphs4377
Words44828

Comments