X hits on this document

305 views

0 shares

0 downloads

0 comments

55 / 80

52

J. P. CASTELLO

  • -

    quando possível, aplicar “exploração rotativa”

(remoção seguida de renovação);

  • -

    se

pertinente,

aplicar

políticas

de

pesca

diferenciada por unidades espaciais dos estoques;

-

implementação

de

áreas

de

reserva

marinha;

sob condições apropriadas elas atuam

como

verdadeiros reservatórios de estoques;

-

favorecer

as

medidas

de

controle

de

maior

facilidade de aplicação;

  • -

    implementar o acesso restrito

estender

direitos

de

propriedade

  • o

    que equivale a

do recurso, seja

de

forma

coletiva

(cooperativas,

empresas)

ou

individuais; esses direitos, renováveis podem ser transferíveis e negociáveis;

a

cada

ano,

A indústria da pesca mundial enfrenta vários

desafios

para

poder

cumprir

seu

papel

de

fornecedor

de

alimentos

(Hannensson

1996)

e,

ao

mesmo

tempo, assegurar a explota, uma vez que

viabilidade dos recursos que qualquer aumento da produção

não

virá da pesca extrativa e sim É necessário gerar uma

da aqüicultura. mudança do marco

institucional favoreçam a

para encontrar incentivos que conservação, por exemplo, através de

algum

sistema

de

direitos

de

uso

(FAO

1993)

limitando a capacidade de pesca ao estritamente necessário e compatível. Nesse remover os subsídios é urgente.

que é sentido,

Referências Bibliográficas FAO. 1993. Marine Fisheries and the law of the Sea: A decade of change. Special chapter revised of the state of Food and Agriculture 1992. FAO Fisheries Circulars nº. 853. Rome, 66p. Hagens, N. 2007. Climate Change, Sabre Tooth Tigers and Devaluing the Future. World Wide Web electronic publication, acessível em http://www.theoildrum.com/node/2243. (Acesso em: 23/02/2007). Hannensson, R. 1996. Fisheries Mismanagement. The case of the north Atlantic cod. Fishing News Books, 160 p.

Ludwig, D., Hillborn, R. &

Uncertainty,

resource

Walters, C. exploitation

1993. and

conservation: lessons from history. Science, 260: 17 e 36. Ludwig, D. 2001. The era of management is over. Ecosystems, 4: 758-764. Rose, G. 1997. The trouble with fisheries science. Reviews in Fish & Fisheries, 7: 363-370. Russell, E. S. 1931. Some critical considerations on the "Overfishing" problem. Journal du Conseil International pour l'Exploration de la Mer. 6: 3-20.

Received April 2007 Accepted April 2007 Published online April 2007

Pan-American Journal of Aquatic Sciences (2007) 2 (1): 47-52

Document info
Document views305
Page views305
Page last viewedSat Jan 21 14:04:53 UTC 2017
Pages80
Paragraphs4377
Words44828

Comments