X hits on this document

611 views

0 shares

0 downloads

0 comments

133 / 184

CONSIDERAÇÕES SOBRE A PEREGRINATIO AETHERIAE

antecedente do relativo não é privativa de is. A Peregrinatio atesta hic.. qui, ille.. qui, ipse.. qui, iste...qui. O elemento ecce que costuma acompanhar certos demonstrativos em exemplos considerados vulgares não é tão freqüente na obra:

ecce ista fundamenta in giro colliculo isto quae uidetis, hae sunt de palatio regis Melchisedech (14,2);

Nam ecce ista uia quam uidetis transire inter fluuium Iordanem et uicum istum haec est qua uia regressus est... (14,3)

Tunc ait ille sanctus presbyter: ecce hic est in ducentis passibus (15,1).

Tratando-se, porém, de transcrições, penso que será melhor interpretar os exemplos de ecce + demonstrativo como vulgarismos não propriamente da autora, mas – como têm observado os tratadistas – dos que ocorrem muitas vezes nos discursos diretos da Peregrinatio.

4. Já nos referimos à expressão de impessoalidade através da 3ª pessoa do singular de verbos passivos no infectum ou no perfectum. Lembremos agora dois exemplos de habere impessoal, como o português “tem” = “há”: “Habebat autem de eo loco ad montem Dei forsitan quattuor milia totum” (1,2). “Habebat de ciuitate forsitan mille quingentos passus” (23,2).

A propósito de impessoalidade e indeterminação do sujeito a Peregrinatio nos oferece outros exemplos sobre os quais faremos algumas considerações:

a) Em 43,5 diz Etéria:

Document info
Document views611
Page views611
Page last viewedSun Dec 11 10:51:32 UTC 2016
Pages184
Paragraphs1442
Words33413

Comments