X hits on this document

454 views

0 shares

0 downloads

0 comments

151 / 184

CONSIDERAÇÕES SOBRE A PEREGRINATIO AETHERIAE

sobretudo, com o uso indevido de cujo em frases como esta da língua oral, não, porém, rigorosamente popular, já que o povo não emprega esse relativo: “Aí, tomamos o carro, cujo carro é aquele que eu te falei”. Nas pessoas cultas este emprego de cujo é intencional para exprimir gracejo, ironia etc.

Jean Cousin também observou a freqüência dessa repetição do antecedente do pronome relativo nas linguagens especiais, sobretudo “dans la langue de la Curie et des tribunaux”, de onde passou à língua literária “par souci de clarté et d’insistance” (Cousin, 1943, p. 51).

4. Repetição de verbos.

Repare-se no emprego dos verbos ostendere e monstrare no 5º capítulo, quando no vale de Rahah os “santos homens de Deus” começaram a mostrar aos peregrinos outros lugares referidos no Velho Testamento. A freqüência dos verbos ostendere e monstrare é de 55 e 4 ocorrências, respectivamente.

A partir de 5,3, quando os orientadores da peregrinação começaram a mostrar outros lugares, diz o texto:

5,3: Ac sic ergo cetera loca quemadmodum profecti monstrauerunt locum, ubi fuerunt castra filiorum Israhel his diebus, quibus Moyses fuit in montem. Monstrauerunt etiam locum, ubi factus est uitulus ille...

5,5: Ostenderunt etiam petram ingentem... Ostenderunt etiam... ostenderunt etiam locum, ubi...

5,6: Item ostenderunt nobis locum, ubi...

Document info
Document views454
Page views454
Page last viewedSat Dec 03 03:19:29 UTC 2016
Pages184
Paragraphs1442
Words33413

Comments