X hits on this document

668 views

0 shares

0 downloads

0 comments

78 / 176

PEDAGOGIA EM DEBATE ON LINE – TEXTOS   Livro Virtual

a época de consolidação ou implantação da quase totalidade dos programas de pós-graduação nas universidades brasileiras; b) foi a época em que ocorreu um número significativo de movimentos sociais, em todo o Brasil.

Entre 1970 e 1995, a USP e a UNICAMP produziram 322 teses e dissertações sobre movimentos sociais (206 e 116 pesquisas, respectivamente)2, considerando os seguintes tipos de movimentos: dos trabalhadores; popular; novos; messiânicos e ligados a seitas e a religiões; estudantis; político partidários; de elites econômicas. O interesse pelo tema é perene, o número absolutos de trabalhos é quase sempre crescente e a maior parte da produção (55,9%) está concentrada nos anos 90. É interessante notar que, ao longo do período, além de o número de trabalhos sobre movimentos sociais ter se mantido relativamente significativo, houve, também, um aumento da diversidade de tipos de movimentos sobre os quais as pesquisas versavam.

Na USP e na UNICAMP o maior número de teses e dissertações é sobre movimento dos trabalhadores (são 150 pesquisas, destes 92 foram concluídos na USP e 58 na UNICAMP), seguidos, em ordem decrescente, por 64 pesquisas sobre movimento popular (44 - USP e 20 -UNICAMP); 53 trabalhos sobre novos movimentos sociais (37 e 16, respectivamente); 31 sobre movimento messiânico e ligado à religião (22; 9); 15 sobre movimento político-partidário (7; 8); 5 estudantil (2; 3) e; 4 teses e dissertações sobre movimento de elites econômicas (2 na USP e 2 na UNICAMP).3

Podemos fazer um exercício interessante ao destacar esta produção teórica das Universidades em relação a aspectos do cenário social e político do período:

Década de 70. Década dos governos militares de Médice (1969-1974), Geisel (1974-1979) e Figueiredo (1979-1985), foi um dos momentos de maior centralização e repressão por parte do Estado. Este período também preparou o caminho para a abertura, obra das lutas populares, de elites progressistas e da própria cúpula do governo de então. O processo de liberalização ocorreu como exigência da sociedade civil e com

2 Este trabalhos foram realizados especialmente, porém, não exclusivamente, na área de Ciências Humanas. Na USP (campus da cidade de São Paulo) foram realizados na: Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Escola de Comunicação e Artes (ECA), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Faculdade de Educação (FE), Instituto de Psicologia (IP), Escola Polítécnica e Faculdade de Saúde Pública. Na UNICAMP: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), Faculdade de Educação (FE), Instituto de Economia (IE), Instituto de Artes (IA)e Faculdade de Ciências Médicas (FCM).

3 Os números e resumos dos trabalhos pesquisados estão expostos na tese do doutorado “Movimentos sociais na Academia; Um olhar sobre as Teses e Dissertações produzidas na UNICAMP e USP entre 1970 e 1995”. Apresentá-los aqui iria comprometer a fluência do texto e demandaria um número de páginas incompatível com a proposta de um artigo.

Document info
Document views668
Page views668
Page last viewedMon Jan 23 19:17:34 UTC 2017
Pages176
Paragraphs1648
Words55761

Comments