X hits on this document

Word document

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas ... - page 53 / 160

316 views

0 shares

0 downloads

0 comments

53 / 160

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas de Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais – Ano 03 Nº 05 – 2007

ISSN 1809-3264

que alfabetizar o “povo” não é uma tarefa fácil, mas que ele duvida que alguém fará mais do que ele tem feito pelo povo pobre do Brasil em quatro anos, deixa pistas para que compreendamos que as pessoas analfabetas, em geral, são “pobres”.

O “povo” referido pelo sujeito enunciador do DL nesse momento, representa uma parte dos analfabetos e também dos sofridos, nos permitindo a compreensão de que, na condição de Presidente, o sujeito enunciador, mesmo que imaginariamente, está preocupado com essa parte da população. Parte essa que compõe as pessoas sem oportunidades, que estão excluídas da sociedade por esses motivos. Também percebemos que o sujeito enunciador está fazendo referência ao “povo” sofrido, ao enunciar que ele é o resultado da esperança que o “povo” vem acumulando ao longo dos anos. “Povo” esse que vem lutando há muitos anos por melhores condições de vida e que se identificou com os dizeres do sujeito enunciador do DL.

Recorte discursivo 3: povo brasileiro

E eu estou vendo algumas pessoas nervosas, irritadas, xinga pra cá, xinga pra lá, e eu não respondo, porque eu acho que o julgamento dessa gente, e o meu julgamento, não pode ser feito pelo baixo nível da disputa, pela imprensa, tem que ser feito pelo comportamento do povo. São vocês que vão julgar quem é quem na política brasileira (grifo nosso) (Fragmentos do Pronunciamento do Presidente Lula no dia 1º de maio de 2006, Missa em homenagem ao Dia do Trabalhador, São Bernardo do Campo-SP)

Podemos compreender que o “povo” representado nessa sdr (representativa do recorte como um todo) é o “povo” brasileiro, porque o sujeito enunciador enfatiza que quem deve julgar a sua posição é o “povo”, por meio do voto.

O que nos leva a essa compreensão é a comparação entre o que está conceituado em outro dicionário utilizado para a pesquisa: (Dicionário de Ciências Sociais, 1986):

...As ciências sociais de modo geral, e a sociologia em particular, recorrem a critérios, sobretudo de natureza quantitativa, étnica, cultural, lingüística, religiosa etc. para a conceituação de povo.

Se prevalece o elemento quantitativo, tem-se povo equiparado a população, à soma de indivíduos que habitam determinado território; se o realce é conferido ao elemento moral, à existência de interesses e aspirações comuns, assim como à sua permanência e defesa através dos tempos, assimila-se o termo à nação; se predominam considerações de ordem étnica, igualam-se as nações de povo e raça; se preponderam apreciações sobre a estratificação social e a valorização de uma classe em detrimento de outra, confunde-se povo com plebe, proletariado;

O elemento cidadania é decisivo para a caracterização de povo no sentido político-constitucional, o único a indicar as condições legais em que pode se manifestar a vontade popular. Povo é aquela parte da população capaz de participar, através das eleições, do processo democrático. ( grifo nosso)

Aqui, há uma relação do “povo” que participa do processo das eleições, que valoriza o seu papel de cidadão. E não a quem se deixe levar por acusações. Então podemos compreender que o sentido provocado pelo pronunciamento do sujeito enunciador do DL em relação ao item lexical “povo” é o de pessoas que fazem do voto um instrumento de cidadania para defesa de seus interesses.

Outro efeito que podemos apreender é que os interlocutores desse discurso terão a idéia de que são eles que têm a responsabilidade de decidir em torno dessas questões.

Document info
Document views316
Page views320
Page last viewedSat Dec 03 10:26:10 UTC 2016
Pages160
Paragraphs2338
Words79461

Comments