X hits on this document

Word document

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas ... - page 54 / 160

430 views

0 shares

0 downloads

0 comments

54 / 160

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas de Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais – Ano 03 Nº 05 – 2007

ISSN 1809-3264

Depende do voto deles a resposta para a questão. E também depende deles o instrumento (o voto) para que o País possa mudar.

Talvez isso tenha sido enunciado pelo sujeito enunciador, antecipando uma resposta para possíveis acusações contra o seu partido. Pelo viés da memória discursiva podemos recuperar que, na ocasião em que ocorreu esse pronunciamento, circulavam acusações de corrupção no governo Lula. Desse modo, o sujeito enunciador aproveitou o seu pronunciamento para dar uma resposta para quem o estava acusando. O efeito produzido é o de que o “povo” é quem julga por meio do voto.

Assim, o “povo” brasileiro é representado apenas no momento em que se faz necessário, ou seja, no momento em que os brasileiros, os quais participam do processo democrático do país terão que dar a resposta para o que está acontecendo. Ou seja, o sujeito enunciador está conclamando esse público, ou seja, está enunciando em torno da situação para que essas pessoas percebam a necessidade do voto.

Recorte discursivo 4: povo latino-americano

E é importante a gente analisar o que aconteceu neste mundo, nesses últimos 27 anos. Há 27 anos atrás, nós tínhamos regimes autoritários implantados em quase todos os países da América do Sul, quase todos, do Chile ao Peru. E, hoje, o que nós percebemos é que nós conquistamos a democracia em todos os países da América do Sul. E estamos percebendo que há um processo enorme de revitalização das instituições democráticas e que, em cada país, o povo continua e, na verdade, o povo está conquistando espaços extremamente importantes com sua participação na vida do país (grifos nosso) (Fragmentos do Pronunciamento do Presidente Lula no dia 1º de maio de 2006, Missa em homenagem ao Dia do Trabalhador, São Bernardo do Campo, SP)

O “povo” são as pessoas que lutavam por seus direitos trabalhistas, lutavam por uma democracia em seus países. A ditadura, nos mais diferentes países da América latina, reprimia as manifestações, tentava impor para a sociedade leis que regulamentassem a vida dos cidadãos. Há um interdiscurso que emerge (vem à tona) nessa seqüência discursiva, no sentido de que o “povo” fez uma revolução. Ou seja, que o “povo” sofreu para alcançar os seus objetivos, mas que valeu a vitória, posto que depois de passado certo tempo, depois das greves ocorridas, acabou o tempo da ditadura e prevaleceu a democracia no Brasil. E, ainda a democracia se deve ao fato de que o “povo” reivindicou seus direitos através de protestos em lugares públicos, principalmente nas ruas.

Compreendemos, desse modo que, naquela época mencionada pelo Presidente, as pessoas não votavam, não tinham liberdade para escolher seus representantes. Isso fez com que Lula se identificasse com os discursos produzidos pelos trabalhadores contra o governo. E, agora em outras condições de produção do discurso, relembra desses fatos e pronuncia de acordo com essa FD.

Também é importante registrar que o “povo” argentino para o Presidente diz respeito às pessoas humildes porque as pistas lingüísticas nos fornecem esse entendimento. São os itens lexicais como: pobre, endividados, esperança, auto-estima e desenvolvimento, que nos permitem esse entendimento.

Considerações gerais a respeito das análises

Deslocando o escrito por Silva (2006) para o âmbito de nossa análise, podemos escrever que é o contexto utilizado pelo sujeito enunciador do discurso que dá o efeito de sentido para o item lexical “povo”. Pois, o DL produz efeitos para “povo” de acordo com o contexto em que é utilizado, de acordo com a posição-sujeito e com a FD em que o sujeito

Document info
Document views430
Page views434
Page last viewedSun Dec 11 01:16:27 UTC 2016
Pages160
Paragraphs2338
Words79461

Comments