X hits on this document

Word document

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas ... - page 62 / 160

439 views

0 shares

0 downloads

0 comments

62 / 160

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas de Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais – Ano 03 Nº 05 – 2007

ISSN 1809-3264

Além da repetição fazia uso do paralelismo, uma forma de construção simétrica. O paralelismo em Vieira é imprescindível para realçar o pensamento, causando grande efeito semântico. Esse recurso impressiona o auditório, levando-o a pensar sua condição de cristão. Ele afirma que “os ouvintes ou são maus ou são bons; se são bons, faz neles fruto a palavra de Deus; se são maus, ainda que não faça neles fruto, faz efeito”. Neste  caso concorrem juntos repetição e o paralelismo. No caso do paralelismo ocorre uma apresentação de contrários (maus/bons). A antítese reforça a intenção de que o ouvinte deva ter seu foco na conversão dos maus ouvintes.

Os recursos empregados por Vieira são úteis para a interpretação dos textos sagrados, a fim de persuadir e converter os ouvintes. Eles auxiliam na revelação da maestria com que o padre utilizava a língua para cativar sua audiência. Todos eles conjugados produzem uma interessante escrita literária sobre a qual se debruçam inúmeros teóricos que se deleitam com sua forma de compor a pregação.

Conclusão

O Sermão da Sexagésima é uma lição retórica para arte literária. A insistência de Vieira em catequizar pessoas ainda não convertidas no catolicismo se fará presente nesse Sermão que acabou se tornando um tratado da retórica. Como já mencionado, o padre não apenas ensinou como também construiu seu sermão seguindo todas as etapas que considerava fundamentais para um bom discurso retórico.

Todas as etapas foram elaboradas com única finalidade de persuadir os ouvintes. Ainda seguindo Aristóteles, persuadir é o fim último da pregação. Isso só é possível se com ele se conjugam as intenções de instruir e deleitar. No entanto, pelo Sermão, Vieira ensina aos demais sermonistas a arte de pregar, isto é, como elaborar um sermão. Para ele os pregadores sempre deviam utilizar de recursos argumentativos que levassem os ouvintes ao agradável, mantendo-os atentos durante toda a pregação. E, se esses elementos fossem bem articulados, o sermonista atingiria o objetivo de persuadir o seu ouvinte.

Referências bibliográficas

ARAÚJO, Jorge de Souza. Antônio Vieira e a paranética religiosa. In: Revista Semear. Cátedra Padre Antônio Vieira de Estudos Portugueses. Vol. 2. Disponível em: http://www.letras.puc-rio.br/catedra/revista/2Sem_03.html. Acessado em: 18 de novembro de 2006.

ARISTÓTELES. Arte Retórica. Editora Tecnoprint. Rio de Janeiro, s/d.

DOMINGUES, Thereza da C. A. O Múltiplo Vieira: estudo dos sermões indigenistas. São Paulo, Annablume, 2001.

FILHO, Nelson Rodrigues. Padre Antônio Vieira: dizer é agir. In: Revista Semear. Cátedra Padre Antônio Vieira de Estudos Portugueses. Vol. 2. Disponível em: http://www.letras.puc-rio.br/catedra/index.html. Acessado em: 18 de novembro de 2006.

MOISÉS, Massaud. A Literatura portuguesa. São Paulo, Cultrix, s/d.

NEVES, Luiz Felipe Baeta. Vieira e a imaginação social jesuítica. Rio de Janeiro, Topbooks, 1997.

SARAIVA, A.J. & LOPES, Oscar. História da literatura portuguesa. Porto, Porto, s/d.

_______. Iniciação à literatura portuguesa. São Paulo, Companhia das Letras, 1999.

SILVA, Janice Theodoro de. A retórica do cativo: Padre Antônio Vieira e a Inquisição. in: NOVINSKY, A. CARNEIRO, M.L.T. Inquisição: ensaios sobre mentalidades, heresia e arte. São Paulo, Edusp, 1992, pp. 512-524

VIEIRA, Antonio Vieira. Sermão da Sexagésima. 1955.

Document info
Document views439
Page views443
Page last viewedSun Dec 11 12:31:29 UTC 2016
Pages160
Paragraphs2338
Words79461

Comments