X hits on this document

Word document

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas ... - page 96 / 160

386 views

0 shares

0 downloads

0 comments

96 / 160

Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas de Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais – Ano 03 Nº 05 – 2007

ISSN 1809-3264

O modo identificador, diferentemente do modo atributivo, é caracterizado pela propriedade da reversibilidade, ou seja, x e a podem ter suas posições trocadas.  O grupo nominal que realiza a função de identificador é definido, isto é, possui um substantivo comum como núcleo, com o the (artigo definido) ou outro determinante, ou ainda um nome próprio ou pronome.  A única forma em que aparece o adjetivo como núcleo é quando há o superlativo.

Vejamos se todas essas propriedades características do tipo intensivo e dos  modos atributivo e identificador, concernentes à língua inglesa, se aplicam da mesma forma à língua portuguesa.  

Observe os exemplos que se seguem com orações intensivas atributivas na língua portuguesa:

Essas crianças são especiais.

O horário das sete é ruim.

Podemos classificar as orações acima como Intensivas Atributivas, sendo:

.essas crianças/o horário das sete = carregadores

.especiais/ruim = atributos

Esta classificação justifica-se, pois os grupos nominais que estão funcionando como atributos são indefinidos (especiais e ruim são adjetivos).

[O estabelecimento de rotinas] é [fundamental]

                            x     a

x = carregador

a = atributo

Vejamos como a oração acima ficaria se sofresse a reversibilidade:

“Fundamental é o estabelecimento de rotinas”.

Ao menos de maneira isolada (separada de seu contexto original) a oração acima não causa estranheza, o que nos leva a concluir que a reversibilidade aqui foi possível.

Então é, no mínimo, muito injusta essa situação.

Encontramos aqui um problema.  Temos aí, produzido pelo falante, um exemplo de reversibilidade numa oração intensiva atributiva.

O adjetivo que está caracterizando a situação vem antes, ganhando, desta forma, mais destaque.

Vemos aí, portanto, que a irreversibilidade nas orações intensivas atributivas não é uma propriedade que se aplica também à língua portuguesa.

Partiremos agora para os exemplos com orações intensivas atributivas na língua inglesa:

She’s smart.

He’s very upset about this.

It’s a very romantic lifestyle. (note a presença do artigo indefinido – a)

x = she/he/it (carregadores)

a = smart/upset/romantic (atributos)

Observe que os grupos nominais que estão funcionando como atributos são indefinidos e não há reversibilidade nas duas orações.

We need to turn the spotlight on ourselves and acknowledge [how great we are].

I don’t like listening to people grumble about [how tough their lives are].

A reversibilidade em orações intensivas atributivas na língua inglesa, como podemos observar nas duas estruturas em destaque presentes nas orações acima, se dá com a presença do elemento interrogativo(how, no caso das orações em questão) e justifica-se

Document info
Document views386
Page views390
Page last viewedThu Dec 08 20:51:28 UTC 2016
Pages160
Paragraphs2338
Words79461

Comments