X hits on this document

176 views

0 shares

0 downloads

0 comments

41 / 51

sucedidas de Carlos Gomes.”

Lo Schiavo nunca foi encenada na Itália. O maestro Gino Marinuzzi tentou, sem sucesso, incluí-la na temporada do Scala, em 1936, em comemoração ao centenário de nascimento do compositor. Tendo falhado esse projeto, tudo o que conseguiu foi realizar, no ano seguinte, um concerto de trechos de várias obras. Não chegou tampouco a concretizar-se o plano do produtor Fernando Bicudo de apresentar a ópera na Itália em 2000, com elenco brasileiro, tendo como protagonista o barítono Sebastião Teixeira, que cantara o papel em São Paulo e Belo Horizonte. Até a data do fechamento deste capítulo, em abril de 2002, não tenho notícia de uma montagem italiana do Escravo. Duas integrais ao vivo documentam essa ópera:

a da Masterclass, de 1959, no Municipal do Rio, com Lourival Braga, Ida Miccolis, Alfredo Colósimo, Luís Nascimento, Anthea Cláudia/Santiago Guerra;

e a da Voce, de 1977, no Municipal de São Paulo, com Fernando Teixeira, Leila Guimarães, Benito Maresca, Amin Feres e Maria Tereza Godoy/David Machado.

33 - DE VOLTA A MILÃO: O CONDOR

Retornando a Milão, depois da estréia do Schiavo no Brasil, Carlos Gomes hospedou-se no apartamento de sua amiga, a condessa Cavallini. Começou a trabalhar em O Cântico dos Cânticos, comédia em um ato de Felice Cavallotti; mas não chegou a terminá-la. Aceitou, porém, uma encomenda dos irmãos Cesare e Enrico Corti, de uma ópera para a temporada de 1891 no Scala. Foi escolhido por ser o mais competente dos compositores da época não comprometido com Ricordi ou Sonzogno, as duas editoras que, àquela altura, travavam combate de morte pela hegemonia nos palcos líricos – em especial naquele ano de 1890, em que a Cavalleria Rusticana estava virando a mesa do melodrama peninsular. Os irmãos Corti, de comum acordo com Sonzogno, ofereceram ao compositor um libreto escrito por Mario Canti, poeta obscuro, a respeito do qual não se tem muitas referências.

Canti imagina a história de Odalea, rainha de Samarcanda, amada por Condor, guardada num santuário no qual ninguém pode entrar – embora o mago Almanzor faça ao pagem Adin a profecia de que um profanador se aproxima. De fato, Condor, o chefe das Hordas Negras, tem a audácia de entrar no palácio e confessar a Odalea o seu amor. Cansada

Document info
Document views176
Page views176
Page last viewedThu Jan 19 07:40:00 UTC 2017
Pages51
Paragraphs319
Words20577

Comments