X hits on this document

Word document

3. HOMOSSEXUAIS SÃO ATROPELADOS NO RIO - page 18 / 47

216 views

0 shares

2 downloads

0 comments

18 / 47

SOCIAL: Em 2002, 189 pessoas devolveram-me um questionário visando a uma pesquisa exploratória que realizei com adultos para verificar as violências que haviam sofrido na infância e/ou adolescência e se percebiam os seus reflexos na vida adulta[6].  A agressão verbal e o abuso sexual foram igualmente às violências mais citadas pelo grupo dos que vivenciam/vivenciaram a homossexualidade. Também verifiquei que este grupo foi um dos que mais declarou ter sofrido diversas outras violências ao longo de suas vidas. Ficou confirmado em todos os grupos que os autores das violências são as pessoas da família e as ligadas afetivamente aos sobreviventes das violências. O "movimento pró-homossexualismo" assemelha-se, pela sua própria história, a um movimento de revolta contra a família brasileira/sociedade; e o seu  propósito aponta para a destruição da família constituída nos moldes tradicionais. Minha hipótese é que esta seja uma reação ao bullying[7] (conjunto de violências) sofrido ao longo de suas vidas, uma forma de identificação com os  autores do bullying. Parece que o "movimento pró-homossexualismo" está cometendo um erro no alvo da sua revolta. Tem disparado tiros para todos os lados e estes vêm atingido, indevidamente, o "movimento de apoio" que também não concorda com a violência social  contra a pessoa que está homossexual.  O "movimento de apoio" aos que voluntariamente desejam deixar a homossexualidade (que inclui os profissionais da área da psicologia deste movimento)  se dispõe a acolher os egodistônicos, os que "estão" homossexuais em estado de sofrimento. Estes fazem parte da minoria das minorias, razão pela qual me coloco ao lado destas pessoas porque elas sofrem muito maior discriminação e preconceito social, inclusive por parte do "movimento pró-homossexualismo", pois são vistos como traidores deste movimento.

O EMPENHO DO "MOVIMENTO PRÓ-HOMOSSEXUALISMO" E O SEU PROJETO DE DESCONSTRUÇÃO SOCIAL/HOMOSSEXUALIZAÇÃO DA SOCIEDADE: O "movimento pró-homossexualismo" tem se declarado uma nova raça. Tenho lido alguns autores e trocadas idéias com algumas pessoas e venho percebendo que  o "movimento pró-homossexualismo" tem  trabalhando ativamente contra os princípios cristãos. Rebelam-se  contra o cristianismo e  declaram  a morte de Deus, como forma de efetivar  o seu PROJETO DE DESCONSTRUÇÃO SOCIAL/HOMOSSEXUALIZAÇÃO DA SOCIEDADE.

Conforme palavras do antropólogo da UFRJ Dr. Luiz Fernando Dias Duarte, no Seminário de Religião e Sexualidade, promovido pelo CLAM-Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos/IMS/UERJ e ISER-Instituto de Estudos da Religião, no Rio de Janeiro , no dia  02/10/2003, o "movimento pró-homossexualismo"   "tem assumido contornos de quase uma religiosidade".

A VIOLÊNCIA CONTRA O MACHO HETEROSSEXUAL: Sócrates Nolasco, Doutor em psicologia, realiza estudos sobre a violência masculina em sociedades contemporâneas ocidentais e faz um alerta quanto ao sistema sócio-político-cultural que vem sendo construído, em que o homem (macho e heterossexual) é apresentado como um ser violento, representante do próprio mal. Pautado em diversos autores, entre eles o francês Jean Baudrillard (considerado um dos mais provocativos pensadores da contemporaneidade), declara que o homem heterossexual está sendo enfraquecido. Nolasco aponta como possíveis responsáveis por detonar o homem neste momento da história mundial os grupos feministas e o movimento ativista gay: "O homem heterossexual, considerado herdeiro direto do sistema patriarcal, foi colocado como inimigo do propósito de liberação sexual representado pelo movimento de mulheres e gays". Também nos alerta para o perigo de a humanidade ser destruída, pois, se o homem heterossexual for destruído, toda a humanidade também o será, uma vez que a destruição do outro sempre gera a sua própria". (NOLASCO,  2001,  p. 187).

A UNIÃO DO MOVIMENTO FEMINISTA/MOVIMENTO PRÓ-HOMOSSEXUALISMO/REVOLUÇÃO CIENTÍFICA PARA O EXTERMÍNIO DOS HETEROSSEXUAIS: Para Jean Baudrillard, não é casual a união entre o movimento feminista (que querem exterminar os   homens heterossexuais do modelo patriarcal), o movimento pró-gay e a revolução científica. A primeira fase da liberação sexual envolve a dissociação da atividade sexual da procriação [...]. A segunda fase, na qual começamos a entrar agora, é a dissociação entre a reprodução e o sexo. Primeiro, o sexo foi liberado da reprodução; hoje é a reprodução que é liberada do sexo, por meio de modos de reprodução assexuais e biotecnológicos, tais como a inseminação artificial ou a clonagem total do corpo. (BAUDRILLARD, 2001. p. 16).

A RECRIAÇÃO DO HUMANO SEGUNDO A IMAGEM  E SEMELHANÇA DA MÁQUINA:  Jean Baudrilard entende que a  morte de Deus (declarada por estes movimentos sociais) representa mais do que a eliminação do princípio religioso como um princípio de organização social;  ela corresponde à restrição de uso do universo simbólico ao tecnológico e ao mercadológico. Temos então a recriação do humano segundo a imagem e semelhança da máquina. Surge o transexual, o  transeconômico, o transgênicos e o transestético como representações pós-modernas do sujeito contemporâneo. (BAUDRILLARD  in NOLASCO,  2001. p. 115).

A PERSEGUIÇÃO DO CFP AOS PSICÓLOGOS: Fica a pergunta:  Que razões teriam um  Conselho Profissional  para desinformar à mídia e a população, especialmente as pessoas que vivenciam a homossexualidade? Por que criar confusão e cerceamento de direitos entre os seus profissionais sob a forma de PERSEGUIÇÃO através de patrulhamento, intimidação, intolerância, preconceito, discriminação, exclusão, tentativa de impedir a livre expressão de opiniões, impedindo a liberdade científica? Por que obrigam pessoas e profissionais a acreditarem na fatalidade da Imutabilidade da homossexualidade, impondo  uma visão parcial dos fatos, de forma a calar as diferenças, promovendo a censura científica? JUNHO de 1998: Esta perseguição  começou  a partir do III ENCONTRO DO EXODUS BRASIL, em Viçosa, MG. O Exodus teve início nos EUA (anos 70) e leva milhares de pessoas aos seus Congressos, desde as egodistônicas até as que se dispõem a apoiar a estas. Os ativistas do "movimento pró-

Document info
Document views216
Page views219
Page last viewedTue Jan 24 07:19:15 UTC 2017
Pages47
Paragraphs457
Words45288

Comments