X hits on this document

Word document

3. HOMOSSEXUAIS SÃO ATROPELADOS NO RIO - page 30 / 47

163 views

0 shares

2 downloads

0 comments

30 / 47

pelos petistas. Porque se Wilson Santos estiver com a razão, se Wilson Santos for esse visionário que se mostra, Alexandre César vai mesmo dividir Mato Grosso, não em dois, mas em três ou quatro. Pois a se configurar o que imagina o tucano, Alexandre terá incorporado, sobre si, poderes que não competem a um prefeito e irá, ele mesmo ­ note bem a capacidade despótica e personalista do PT - não dividir, mas retalhar nosso estado, caro leitor! A prosperar a tese do “Galinho”, aqui de Cuiabá, de nossa longínqua e insignificante capital, Alexandre César haverá de liderar, nacionalmente, a mais neoliberal reforma da CLT, enterrando junto com Vargas, seu criador, o sacrossanto décimo terceiro salário. Na prefeitura, se for verdade o que supõe Wilson, o petista extirpará dos trabalhadores, de todos eles ­ privados ou públicos -, o direito incontestável às férias, obrigando-os a jornadas ininterruptas de árduo trabalho. A se confirmarem as profecias abençoadas de Wilson, o ateu, o infiel, o defensor dos homossexuais Alexandre César transformará a prefeitura num antro de pecado, numa ilha de hedonismos e perversões. Já antevejo, aqui da tela de meu computador, o Paiaguás como um templo da profanação dos bons costumes de nossa respeitosa cuiabana. Quando penso em Alexandre prefeito, temo pelas policlínicas, em cujos recônditos, médicos avermelhados farão, à penumbra, abortos em série. E temo pelas creches, onde pobres criancinhas estarão, indefesas, à mercê de monitores comunistas aguados por seus suculentos lombos imberbes. [Fonte: Anselmo Carvalho Pinto, anselmo@diariodecuiaba.com.br, http://www.diariodecuiaba.com.br, 28/10/2004,  Cuiabá/MS]

12. NOVA SÉRIE GLS DE TV ABORDA GAYS NEGROS

Uma nova série de TV americana aborda os negros gays. Com o título de Noha's Arc, a série pretende abordar o segmento da comunidade gay que é menos visível nas séries atuais.Na série, Noah, Alex, Ricky e Chance são quatro amigos gays que vivem em Los Angeles. Noah (Darryl Stephens) é um escritor em início de carreira que se apaixona e começa um caso com um escritor de sucesso, Wade (Jensen Atwood). O conselheiro de HIV/AIDS Alex (Rodney Chester) é realista com seus clientes, mas não consegue fazer o mesmo com seu namorado, o anestesiologista always Trey (Gregory Keith). Ricky (Christian Vincent) é dono de uma loja de roupas moderninhas em Melrose e é o playboy do grupo, enquanto o professor colegial Chance (Doug Spearman) se casou recentemente e adotou a filha de 3 anos de seu companheiro, Eddie (Jonathan Julian), após uma batalha na Justiça. Com outros personagens secundários e interessantes, a série tem sido exibida em vários festivais gays do mundo, mas ainda não existe uma previsão de quando vá ser transmitida por algum canal americano. O DVD da primeira temporada está para ser lançado nos EUA. [Fonte: GLS Planet , 22/10/2004]

13. DOM EUGENIO ATACA HOMOSSEXUAIS NO RIO

Na Parada Rio, somos brindados por um ódio sem fim desta pessoa que de Cristão tem muito pouco. Segue artigo publicado no O Globo de hoje pelo qual acredito devamos mandar cartas a redação cartas@oglobo.com.br protestando sobre a absurda intervenção da Igreja Católica num assunto de direito civil.

OPINIÃO

Dom Eugenio Sales - O preço da discordância

Há muitos anos, semanalmente, utilizo os meios de comunicação social, no cumprimento de minha missão de tornar mais conhecida e aceita a mensagem do Evangelho. Através de jornais, emissoras de rádio e televisão proponho, não imponho, o ensinamento do magistério eclesiástico. Examinando as reações contrárias à Igreja Católica, cheguei à conclusão de que elas nascem, por vezes, do desconhecimento da natureza dessa instituição fundada por Jesus Cristo com o objetivo específico de transmitir e fazer viver a própria doutrina do Mestre. Atraiçoaria o ministério recebido se assim não o fizesse. Na ocasião de subir ao céu, dirigindo-se aos apóstolos e discípulos, Jesus assim declarou: “Toda a autoridade sobre o céu e a terra foi-me entregue. Ide, portanto e fazei que todas as nações se tornem discípulas batizando-as (...) ensinando-as a observar quanto vos ordenei. Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos!” (Mt 28,18-20). Pouco antes, Ele alertara: “Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós (...). Se me perseguiram, também vos hão de perseguir” (Jo 15,18-20). No Evangelho de São Mateus (10,28) Ele advertira: “Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma.” São variadas as maneiras de atacar a Igreja. As mais eficazes e virulentas são as que se acobertam sob nobres ideais. Defendem o aborto e alistam nos direitos humanos o assassinato do feto que põe em risco, sem qualquer culpa pessoal, a vida da mãe. Mata-se o mais fraco e indefeso e ainda se tenta aliviar, infrutuosamente, a consciência, sob uma argumentação falaciosa. Hoje está em voga defender a pesquisa sobre as células-tronco ou embrionárias. Em nome do progresso da ciência, põe-se em risco a intangibilidade da vida humana. O crescimento científico não está sendo acompanhado pelo fortalecimento moral e religioso da sociedade. Em tantas partes do mundo continuam praticamente impunes os milhões de abortamentos. E ai dos que ousam manifestar-se contrários! A Igreja é atacada, até em peças teatrais, por negar a validade das uniões homossexuais: homem se casa com homem, mulher com mulher. Como pode a Igreja de Cristo calar quando se exalta o que é frontal e explicitamente contrário ao Evangelho e à natureza humana? Esquecem-se do papel maternal dessa mesma Igreja, condenando a violência contra os atingidos por tais distúrbios. Ela não pode silenciar sobre esses e tantos outros assuntos. O Paraíso está aberto aos que lutam para seguir os ensinamentos de Jesus. Entre eles está a defesa da vida. De Deus nós a recebemos e somente Ele pode suprimi-la. E os preservativos? A Igreja é acusada de promover, com sua proibição, o avanço do vírus da Aids. Afirmar que o sexo é seguro com o uso de camisinha quando não o é, implica, na verdade, estimular um dos principais veículos na

Document info
Document views163
Page views166
Page last viewedFri Dec 09 12:18:32 UTC 2016
Pages47
Paragraphs457
Words45288

Comments