X hits on this document

Word document

3. HOMOSSEXUAIS SÃO ATROPELADOS NO RIO - page 39 / 47

161 views

0 shares

2 downloads

0 comments

39 / 47

"' Não mantenha relações sexuais com: Homossexuais ou bissexuais; Parceiros heterossexuais de pessoas expostas ao HIV; Pessoas que tenham recebido transfusões de sangue; Pessoas cujo estado de saúde e prática sexual você não conheça.'"

Eles tentam, mas nunca conseguem evitar que "machos" casados acabam pagando para dar a bunda para travesti deformado pela policia.Deixe-os insistir em agir com burrice! Pura. Ricardo.

Campinas, 15 de janeiro de 2004

Ilmo.Sr. Diretor Presidente da Lincx Serviços de Saúde

Vimos por meio desta, na condição de organização da sociedade civil voltada à afirmação da cidadania homossexual, manifestar nosso mais veemente repúdio ao texto veiculado em uma das páginas do site desta empresa, intitulada "Prevenção: O vírus HIV e a AIDS", assinado pela Dra. Elisabete Almeida, Editora Responsável, pelo que contém de desinformação, preconceito e discriminação.> O referido texto, embora afirme corretamente que "não se pode falar mais em grupos de risco", se é que tal  conceito foi adequado algum dia na história da luta contra o Hiv e a Aids, adota antes de mais nada uma terminologia rejeitada por toda a área da saúde, ao falar em "mães aidéticas", o que é inadmissível numa página de uma empresa composta por profissionais da saúde. A abordagem sobre prevenção, todavia, torna-se completamente desastrosa quando, ao referir-se especificamente sobre a prevenção e os cuidados nas relações sexuais, o texto faz a seguinte afirmação: "Não mantenha relações sexuais com : Homossexuais ou bissexuais; Parceiros heterossexuais de pessoas expostas ao HIV; Pessoas que tenham recebido transfusões de sangue; Pessoas cujo estado de saúde e prática sexual você  não conheça." O texto acima destacado, além de ser absolutamente  contraditório com a afirmação anterior de que "não se pode falar mais em grupos de risco", imputa a homossexuais, bissexuais, parceiros heterossexuais de pessoas expostas ao Hiv, e pessoas que tenham recebido transfusões de sangue, além das pessoas "cujo estado de saúde e prática sexual você não conheça" (sic), uma  verdadeira negação ao direito a uma prática sexual, retornando a um estigma que de longa data os segmentos responsáveis na área da saúde já vêm superando. A página em relação à qual manifestamos nosso inconformismo, ao fazer tais afirmações, apenas desinforma e reforça estigmas, preconceitos e discriminações, seja em relação a homossexuais, bissexuais, parceiros heterossexuais de pessoas expostas ao Hiv, e pessoas que tenham recebido transfusões de sangue, além das pessoas "cujo estado de  saúde e prática sexual você não conheça". A comunidade homossexual e todas e todos que lutam por uma sociedade mais justa, fraterna e igualitária, não podemos aceitar a manutenção desta página no ar. Diante do exposto, o IDENTIDADE - GRUPO DE AÇÃO PELA CIDADANIA HOMOSSEXUAL, com sede na Rua Álvares Machado, nº 350, Centro, Campinas, SP, Cep: 13013-070, Fones (19) 9612- 3060 ou (19) 3234-8953, vem perante V.Sa. expor seu repúdio à tal página contida no site desta empresa, e exigir a imediata retirada de tal texto do ar, sob pena de tomarmos as medidas legais cabíveis. [Fonte: Paulo Mariante,  paulomariante@u e gaylawyers@yahoogrupos.com.br, 15/1/ 2004]

18. INTOLERÂNCIA E FASCISMO

Esta mensagem se for autentica, enviada por FILINTO MULLER NETO a Luiz Mott, revela, infelizmente, que a intolerância e maldade do Chefe de Policia de Getulio Vargas, Coronel FILINTO MULLER, responsável pela prisão da judia Olga Prestes e do seu marido comunista Luiz Carlos Prestes entre outras ações fascitas, persiste em seu neto que agora investe contra os homossexuais com argumentos caducos da eugenia nazista, considerando a homossexualidade como anormalidade e aberração. Alguém tem mais informação sobre este homófobo catatônico? que reação sugerem que devemos tomar? Heranças avoengas da ditadura fascita!

Sr. Luiz Mott:

Suponhamos que uma pessoa nasça, por uma anomalia genética (digamos pelo uso da Talidomida), com 6 dedos em uma das mãos ou em ambas. Se esta pessoa for um filho meu, evidentemente não irei desprezá-lo, maltratá-lo ou odiá-lo por essa razão. Será meu filho a quem amarei e acolherei. Mas o fato de ter 6 dedos não deixará em nenhum momento de ser uma aberração, uma anormalidade, o que me entristecerá. O NORMAL É TERMOS 5 DEDOS EM CADA UMA DAS MÃOS. Estou errado?????

O mesmo ocorre com relação ao homossexualismo (ou homossexualidade, como queiram). Não deixaria de amar, acolher e ser amigo de um filho meu, pelo fato de ser homossexual. Já tive um colega e uma colega homossexuais em ambiente de trabalho, com quem travava grande amizade, revestida de respeito, cordialidade e colaboração mútua. No entanto, Sr. Mott, quer queiram, quer não, os relacionamentos afetivos-sexuais entre pessoas do mesmo sexo constituem ANORMALIDADE, ABERRAÇÃO, pelo simples e mero fato de ferirem um divino preceito natural e universal de que HOMEM RELACIONA-SE COM MULHER E MULHER COM HOMEM. Qualquer padrão fora desta ordem natural das coisas, que não foi criada nem por mim, nem por você, nem por ninguém, mas por DEUS, FORÇA NATURAL SUPREMA DE TODO O UNIVERSO, CRIADOR DE TODAS AS COISAS, traduz-se por anormalidade. Digo isto, porque noto por parte dos meios de comunicação, notadamente os ligados ao Sistema Globo, uma preocupação em passar à sociedade a idéia do Homossexualismo(lidade) como padrão de normalidade, o que não é verdade. FILINTO MÜLLER NETO. [Fonte: Luiz Mott, www.luizmott.cjb.net  www.ggb.org.br, 30/6/2004]

19. HOMOSSEXUALIDADE CONSIDERADA UMA DOENÇA

Document info
Document views161
Page views164
Page last viewedFri Dec 09 06:19:54 UTC 2016
Pages47
Paragraphs457
Words45288

Comments