X hits on this document

PDF document

ARRÁBIDA E SINTRA: DOIS EXEMPLOS DE TECTÓNICA PÓS-RIFTING DA BACIA LUSITANIANA - page 6 / 27

128 views

0 shares

1 downloads

0 comments

6 / 27

Existem associações de fácies com diferenciações a nível do acarreio detrítico. A arquitectura vertical e lateral e a evolução sequencial indiciam influência de actividade tectónica, compatível com afundimentos com direcção NE-SW e que parece ter sido mais intensa para o topo. A diferenciação de duas sequências deposicionais separadas por uma descontinuidade maior atribuível à fase pirenaica, repete estrutura idêntica definida para depósitos correspondentes a esta etapa noutras regiões (Reis & Cunha, 1989).

As fracções argilosas são ricas de paligorskite e de esmectite, esta associada a níveis mais detríticos, enquanto a paligorskite abunda nos carbonatos e argilitos (Azevêdo, 1991).

Zbyszewski (1963) evidenciou a seguinte sucessão de cima para baixo, no essencial seguindo o modelo reconhecido por Choffat ( 1950):

5 – Margas e argilas avermelhadas ou alaranjadas (60 m) 4 – Conglomerados com clastos calcários (60 m) 3 – Margas avermelhadas (200 m) 2 – Calcários de Alfornelos, cobertos com um banco de conglomerados (15 m)

1 – Arenitos e Margas avermelhadas siliciclásticas (90 m). Antunes (1979) sub-dividiu a Formação de Benfica em três unidades de 106 m, 206 m e 120 m de espessura, de baixo para cima, atribuindo-lhes as idades de Eocénico à inferior e Oligocénico às superiores.

Reis et al. (2001) reconheceram 4 associações de fácies. A associação 1 é composta por conglomerados e arenitos siliciclásticos, com estratificações oblíquas em ventre, matriz areno-lutítica, e elementos de quartzo, quartzito, lidito, xistos e clastos feldspáticos, de cor esverdeada. Estes clastos têm origem no maciço hespérico ou foram retomados do Mesozóico. Localmente, ocorrem margas avermelhadas ou esbranquiçadas. Ocasionalmente, existem nos conglomerados clastos rolados de calcários mesozóicos. Corresponde à unidade A de Antunes (1979) e à 1ª assentada e parte inferior da 2º assentada de Choffat (1950). Tem uma espessura de aproximadamente 106 m.

A associação 2 é constituída por conglomerados e arenitos siliciclásticos, com cimento carbonatado, cor vermelho-tijolo, rosada, e esverdeada clara., associados, local e lateralmente, a horizontes de calcários micríticos brancos, nodulosos, às vezes pulverulentos, conhecidos como “calcários de Alfornelos”. Têm fácies lacustres e palustres e foram alvo de acções pedogenéticas e diagenéticas importantes; em parte, correspondem a calcretos. Na região de Loures, os carbonatos indiciam deposição em pequenas depressões endorreicas (Azevêdo, 1991). Têm cerca de 10 m de espessura.

A associação 3 é representada por arenitos e lutitos avermelhados com níveis de concreções carbonatadas róseas. Ocorrem intercalações decimétricas de corpos lenticulares e canalizados de microconglomerados e arenitos grosseiros, com elementos essencialmente siliciclásticos, pouco rolados, e mais

374

raramente de calcário (proveniente do Cretácico e do desmantelamento de crostas carbonatadas pouco evoluídas). Os corpos lenticulares e canalizados apresentam dimensões que não ultrapassam os 10m de largura e 2 m de espessura máxima. Não são detectáveis elementos basálticos. Correspondem à instalação de episódios de sedimentação com decantação de materiais finos avermelhados e ao desenvolvimento de horizontes intercalados de crostas calcárias. A associação de fácies é equivalente da unidade B (Antunes,

  • 1979)

    , e inclui a parte superior da 2ª e a 3ª assentada de Choffat

  • (1950)

    . Assenta em descontinuidade sobre a anterior, marcada

pela ocorrência de conglomerados com clastos de sílex, de quartzito e quartzo e de calcários cenomanianos, cimentados por argilas brancas na base passando a vermelhas no topo (6 m); os clastos de calcário são cada vez mais abundantes para o cimo. O conjunto atinge cerca de 200 m de espessura.

Entre Carnide e Póvoa de Santo Adrião está bem representada a associação 4 (Reis et al., 2001). Corresponde às 4ª, 5ª e 6ª assentadas (Choffat, 1950) e à unidade C de Antunes (1979). Inclina cerca de 10º para sudeste e atinge cerca de 120 m de espessura. Afloram conglomerados e arenitos grosseiros com elementos rolados de calcários jurássicos (Calcários de S. Pedro, Xistos do Ramalhão) e cretácicos, basalto rochas filoneanas, arenitos do “Belasiano” e de margas esverdeadas, cimentados por matriz argilosa avermelhada. O conjunto é encimado por conglomerados com grandes clastos de calcários e quartzitos, em corpos de espessura métrica alternando com arenitos e lutitos vermelhos e castanhos, com horizontes carbonatados nodulares ou encrostados e com distintos indíces de maturidade. Os corpos conglomeráticos têm acentuada tendência tabular. A abundância de clastos de basalto é variável mas parece estreitamente relacionada com a ocorrência dos clastos de calcários. Quer os clastos de calcário quer os de basalto são progressivamente mais abundantes e de maiores dimensões para o tecto da sucessão. Evidenciam processos de alimentação local, na sequência da ruptura NE-SW que terá afectado unidades mesozóicas. Ocorrem episódios espasmódicos de deposição em canais de elevada energia e de geometria espraiada, intercalados com longos períodos de paragem e alteração pedológica, com formação de horizontes carbonatados encrostados.

II.2.2. NEOGÉNICO E QUATERNÁRIO

Os registos sedimentar e paleontológico do sector distal da BBT estão relacionados com as variações do nível do mar. Os depósitos continentais e marinhos litorais têm fornecido dados biostratigráficos de excelente qualidade. É possível correlacionar níveis com foraminíferos planctónicos a mamíferos, e obter datações isotópicas (K-Ar em glauconites e 87Sr/86Sr em conchas de moluscos). A riqueza de fósseis – dinoflagelados, esporos, pólenes, macrorrestos de vegetais, foraminíferos, ostracodos, moluscos, equinídeos, peixes, répteis e mamíferos –

Document info
Document views128
Page views129
Page last viewedFri Jan 20 20:59:30 UTC 2017
Pages27
Paragraphs483
Words17493

Comments